Verdade numa máquina!

10-07-2015 18:18

    Num programa da tarde, daqueles que apresentam uma panóplia de temas tão diversificada que nem sempre entendemos a linha de pensamento, há uma rubrica onde as pessoas com algo a provar, ou esclarecer perante o mundo, se submetem a um teste de polígrafo, a chamada máquina da verdade.

    Um marido que quer provar à esposa que não, não teve nada com aquela colega de trabalho, uma vizinha que afirma e reafirma não ter roubado o ouro da amiga quando frequentava a sua casa, um filho que intenta mostrar à mãe que não lhe tirou dinheiro daquela gaveta (pouco) secreta… et caetera! Cada um tem as suas histórias, quer provar isto ou aquilo, limpar a sua honra e reconquistar dignidade… ou não!

    Cada um faz o quer… toma as decisões que lhe aprouver… Aquilo que ela não entende é esta suprema necessidade de expor a vida… em vez de irem para a TV, num qualquer programa que inteligentemente ganha audiências e notoriedade à custa do cidadão “incauto” porque é que não vão falar com os interessados? As esposas, as mães e tudo o resto? Até podiam ir ao tal teste, em modo mais privado, e depois apresentariam os resultados! Ela está em crer que conversando francamente as questiúnculas se resolveriam por si só. E se não resolvessem logo pelo menos os intervenientes não veriam a sua vida privada ser exposta nacionalmente. Certo… o programa venderia menos… Mas será que vale a pena expor-se assim? Não! É o que ela pensa, pelo menos…