Preferências

09-09-2014 22:08

    Mr Selfridge é uma série deliciosa. Um Americano que chega a Londres para revolucionar a forma posh e completamente contida como os Ingleses se comportavam… até nas compras. Absolutamente jovial quando ele decide agregar “todos os artigos de mulher” num mesmo departamento. O escândalo de sugerir que os perfumes saíssem da secção de Farmácia. Não podia ser, era “um segredo das senhoras”, e vender maquiagem então, o ultraje dos ultrajes. “Quem compra tal coisa são as mulheres de baixa reputação” ou as esposas para usar de forma discreta e agradar aos esposos. Ao mesmo tempo a série retrata infidelidades, sexo sem casamento, alguma luxuria. Enfim, contrastes do que seria público e do que se queria manter privado. Até existem alusões, não tão subtis, à normalmente velada homossexualidade e ao uso de opiáceos.

    Além de revelar a forma genial com que o império da loja de departamentos “Selfridge” foi erigido, retrata uma época, uma Inglaterra, uma maneira de viver. É refrescante não “ter que ver” apenas séries com assassinatos, laboratórios repletos de maquinetas estranhas e líquidos coloridos, com pesquisas de DNA e coisas que tal. Ela recomenda.