Mau feitio...

14-09-2015 20:35

    E depois há aqueles dias, alturas da vida, em que, a ela, pelo menos, parece que seria capital termos acoplada uma máquina que controlasse as nossas emoções. Podia ser uma maquinazinha pequenininha que ninguém visse, mas que nos ajudasse controlar momentos de mau feitio, caras transparentes que espelham cansaço ou desânimo, alegria excessiva ou qualquer outra coisa que devia permanecer cá por dentro, nos nossos interiores.

    Pois, cada um tem o seu feitio! E de vez em quando lá calha, um gesto, uma careta diferente, uma palavra, que até nem deviam sair naquele momento, nem deveriam sair talvez, mas saem. Uma certa rispidez, feitio… e depois lá se fica a pensar “não fiz de propósito”, “não era para ninguém”, “nem estava aborrecido/a”… mas a careta lá foi, o comentário saiu… Com ela é mais a cara a ser espelho da alma. Mau feitio sim… ou pelo menos, como lhe dizia a mãe, “tens cada atitude refilona”! Há mesmo coisas nossas que não mudam com a idade e a malfadada gravidade! Temos traços que atenuam, pioram ou melhoram, surgem ou desaparecem com as vivências que temos, as experiências porque vamos passando, mas há coisas que estão no ADN, ou assim parece!

    Que bom que seria se as rugas, pés de galinha e peles flácidas, fruto da passagem do tempo, se alojassem na nossa personalidade e sugassem as forças e vitalidade aos nossos traços menos bons e não no nosso corpo. Era bem melhor e assim, ela pelo menos, não ficaria o resto do dia a pensar: “Tens mesmo mau feitio às vezes”! Pronto, isto amanhã passa-lhe! Pelo menos até ao próximo momento “cara montra” e depois lá se analisará de novo e lá desejará a tal maquineta… Coisas…