Disparo

24-07-2014 18:07

 

O som ensurdeceu-o e a luz deixou-o momentaneamente invisual. Focado, reagiu ao estímulo e a adrenalina do disparo compeliu-o a arrancar, correr cada vez mais célere, em frente, confinado apenas pelas listas brancas que delimitavam a pista. Os músculos em contração, a respiração ofegante, o cérebro a pedir descanso e as pernas compelidas a seguir em frente. As veias da testa transformaram-se em grossas raízes de ideias que surgiam, imagens que se atropelavam, desejos incumpridos, compras a fazer, discussões a terminar. No auge do esforço atingiu a meta, parou, olhou para trás… e percebeu estar só na estrada da vida.