Convicções!

22-07-2015 16:36

    Ela acaba de ler, algures na blogosfera deste país a seguinte frase: “Eu aceitaria uma filha lésbica, mas nunca um filho gay”! Ficou perplexa…

    Curiosamente ela acaba de ver um programa sobre moda onde o tema também era abordado. Um estilista americano, gay, casado com o seu companheiro de anos, foi contratado para um trabalho no Dubai, onde a homossexualidade é proibida e punível com prisão. Ela não entende, e ele também não… serve para trabalhar lá, mas pode ser preso e condenado pelas suas opções privadas?

    Há tanta coisa que pode “correr mal” na vida dos nossos filhos. Desde logo ao nascer, doenças, incapacidades… mais tarde problemas vários os podem deter, preocupar-nos, tirar-nos a alegria, escurecer a vida… será assim tão grave, tão pena capital ter um filho com opções de vida diferentes no aspeto sexual?

    Ela é mãe. Não sabe se algum dia terá que lidar com esta questão ou não e nem sabe como reagiria, porque isto de opinar é assim mesmo, sabemos todos falar daquilo que não nos afeta (ainda)! Mas não lhe parece que isto seja questão para declarações do género da acima citada! Certo, a filha poderia ser lésbica, mas o filho, macho, não poderia ser gay? Que convicções são estas? E um profissional, seja lá de que área for, é bom naquilo que faz, tem carreira provada, mas é visto de lado num país que o contrata porque não é “normal”? Claro, cada país e cultura tem as suas tradições, regras, moralismos vários, mas a ela, pelo menos, isto de julgar os outros desta forma não parece correto!

    Como mãe, e depois de ter aprendido algo e passado já algumas aflições neste campo, ela apenas quer que o filho seja feliz! Saudável e feliz! Todos os pais querem isso? Sim! Talvez por isso mesmo haja afirmações categóricas que não se devam iterar sem cogitar…