20(18)19!

30-12-2018 15:50

    Ela não é de fazer grandes balanços em relação ao que já passou.  Pensa no que viveu, no que fez e deixou de fazer, por vezes, muitas vezes, pensa de mais.

    Do ano que agora acaba, como em todos os que até agora viveu, há coisas que guarda, que leva consigo no coração, mas há outras que não quer recordar, que “não deviam ter acontecido”, aquelas em que se coloca um “se” de cada vez que lhe assomam à lembrança, mas sobre as quais já nada há a fazer. O início de 2018 não foi auspicioso, mas os meses foram-no melhorando e amadurecendo vivências e sentimentos. Termina bem, com luz, amor e esperança, sonhos reais, consubstanciados em pessoas que são suas e que sabe que não deixarão de o ser.

    Durante os próximos dias todos iremos desejar bom ano aos que nos rodeiam, com um maior ou menor grau de convicção, uma maior ou menor vontade de que aquela pessoa tenha na realidade o melhor que lhe possa suceder. E a vida vai continuando a acontecer, os dias vão passar num janeiro que sempre se avizinha comprido e frio após o quente tumulto das festas de dezembro... E de repente o ano estará instalado e firmemente desenvolvido, cabendo-nos a nós, na maioria das vezes, torná-lo mesmo em algo memorável.

    Aquilo que agora se nos afigura como uma tela em branco de 365 dias novinhos em folha vai ter coisas boas, coisas menos boas, as que quereremos preservar, as que gostaríamos que não existissem, as que isto, as que aquilo… E sonhar que estas centenas de dias sejam bons, que o sol nos brilhe, que ganhemos o euromilhões, que tenhamos uma casa nova, que arranjemos um melhor emprego, que o amor nos volte a sorrir, que deixemos de fumar, que percamos os quilitos que andam por aí a mais, entre muitos outros desejos que muitos de nós iteramos enquanto mordiscamos passas de uva ao som das doze badaladas, é legítimo, é bom. O sonho conduz-nos e impele as nossas ações. Por isso, sonhemos, que não percamos a capacidade de querer mais, melhor, diferente, acima de tudo que tenhamos a tenacidade de lutar por isso, mesmo cometendo erros, sem pisar os outros, mesmo que algum retrocesso nos possa tolher, momentaneamente, os movimentos.

    Este é o desejo dela, para si mesmo, para os seus, para quem a agracia com o ato de ler o que escreve, que lutem por concretizar sonhos, por evoluir e ser feliz, seja lá no que for que desejam… Bom 2019 para todos/as, que sejam 365 dias de sonho, mais ou menos explicito, mas vivido!