A culpa é...

22-11-2015 17:55

    O tempo tem estado em modo bipolar! Em novembro já tivemos verão, de são Martinho talvez, mas bem mais quente que certos dias de estio agostinho, vulgo, de agosto. Agora veio a chuva e o frio! Muito pois, esteve guardado a acatar o seu momento de brilhar e agora faz-se sentir bem, longe ainda do seu fulgor total, mas lá perto!

    Será por isto que também nós, pessoas humanas, ficamos de certa forma mais instáveis? Tanto sorrimos com pequenas coisas que nos dão prazer, como discutimos com quem nos é próximo, choramos porque os nervos não nos deixam falar daquilo que nos preocupa, entre outros! De notar que ela nem encontrou muitos motivos de sorrir para colocar nesta pequena lista. Eles existem sim, mas andam relativamente camuflados por tudo o resto.

    É capaz de ser melhor mesmo pensar assim. A “culpa” é do tempo que não se firma. Não é do excesso do que fazer. Não é do malfadado stress, coitado, esse que nem faz ideia daquilo que nos faz sentir e é sempre responsabilizado por tudo. Não é dos dias que são passados em correrias entre o trabalho, os supermercados, a casa e a sua lida, e, no caso de muitos de nós, passando também pelo muito trabalho de casa, não-doméstico, que temos que levar a cabo. Não, nada disso! A culpa é da instabilidade das pressões atmosféricas! Tomem lá e aguentem-se tempestades, ciclones e coisas afins! Sim meteorologia, tu e as tuas correntes de jato, os teus ciclones extratropicais, os teus anticiclones e coisas que tal são, para ela, à falta de melhor, os culpados das muitas variações de humor que por cá as pessoas vão sentindo.

    Atmosfera, vê lá se vais mandando uns raiozitos de sol, intercalados com estas tempestades todas, algumas em copo de água, para ver se as pessoas por cá se vão aguentando nesta bipolaridade!!! Melhores dias virão, sim, ainda se vai acreditando nisso, e lá nos vamos preparando para andar sempre de guarda-chuva, mais emocional que real, até porque a chuva essa, ainda agora começou!